resenha uma coisa absolutamente fantástica

April May está saindo do seu trabalho de madrugada quando esbarra em uma escultura gigantesca que surgiu de repente no meio de Nova Iorque. Embora não tenha um canal de YouTube, a primeira coisa que ela pensa é em ligar para Andy, seu melhor amigo, para que ele vá até lá filmar. E no dia seguinte a vida de April muda para sempre: agora ela é conhecida em todo o mundo, pois em dezenas de outras grandes cidades do mundo também surgiram as mesmas esculturas, que April aleatoriamente apelidou de Carl.

Aliens? Robôs? Propaganda? O que são essas esculturas? Elas representam risco à vida humana? O que elas fazem? Como surgiram? E por quê? São essas as perguntas que April começa a ser perguntada, afinal foi a primeira pessoa a postar na internet sobre o assunto. Acontece que April não faz a menor ideia do que seja os Carls e nem do que precisa fazer agora que está sendo convidada para dar milhares de entrevistas e começando a ganhar dinheiro, muito dinheiro.

resenha uma coisa absolutamente fantástica
Título: Uma Coisa Absolutamente Fantástica 
Autor: Hank Green
Editora: Seguinte
Páginas: 344
Ano: 2018
Nota: 1/5
SKOOB | AMAZON


Eu solicitei esse livro para troca por ter ouvido muitas pessoas comentando no Twitter sobre - e pessoas dizendo que era o livro preferido da vida. Veja bem, eu quero ler bons livros em 2020 e eu fui na expectativa que esse livro explodisse minha mente. Mas foi uma decepção tão grande que nem sei por onde começar... Aliás, sei sim!

April é uma garota de 20 e poucos anos que trabalha em uma startup e que tem opiniões fortes sobre muitas coisas, mas tem uma coisa que ela realmente é acima de qualquer outro adjetivo: insuportável.

O autor (que depois de ter lido umas 200 páginas eu descobri ser irmão do John Green!) trabalhou dilemas da juventude nessa personagem: dificuldade de lidar com descobertas, mudanças de personalidade, construção da sua identidade e as coisas que você acreditar, e o desafio de lidar com a pressão de se tornar alguém influente sem nem saber o que está influenciando (o drama da April, aliás) foi trabalhado. Mas a protagonista foi bastante antipática, egoísta e sempre com a atitude de fazer o que dava na telha sem se importar com quem magoaria no processo - e, pior, dando zero importância para as pessoas que estavam ali com ela nos momentos mais difíceis.

O poder que cada um de nós tem de fazer com que completos desconhecidos se sintam mal, assustados e fracos é impressionante. 

A narrativa foi muito simples de ler (o que é muito positivo, para mim) e fluída, aquela leitura fácil, mas os acontecimentos em vários momentos do livro começaram a ficar chatos e, embora tivesse bastante plot twist eu realmente não fiquei envolvida com a história - e acho que parte disso se deve ao fato de que a insuportável da April é que narra tudo - e nada estava sendo explicado.

E aí, chegamos ao final em que uma grande bomba é jogada na cara do leitor e absolutamente nada tem explicação. Tipo, nada. Quem é Carl? O que ele está fazendo? Por que ele existe? Como chegou? Nada disso tem resposta e ter essas respostas foram a minha maior motivação para enfrentar as partes chatas e ler o livro até o final! E adivinha? Eu fiquei sem respostas, e descobri que o livro tem continuação.

E só dá para fingir até certo ponto antes de se tornar quem se está fingindo ser.

Eu consigo realmente compreender por que algumas pessoas acham o livro bom, tem pontos que tratam bem a construção de uma identidade e especialmente esse acontecimento de você se tornar uma voz influente quando você não faz ideia do que você está fazendo na vida - e a bagunça mental que ocorre, além disso a história tem elementos interessantes, que me pareceu em muitos momentos como um jogo também. Mas a personalidade da protagonista, o excesso de elementos que o tempo todo é jogado no leitor sem menor explicação e o final bizarro e sem respostas me deixou muito chateada. Talvez meu erro tenha sido ter expectativas demais, talvez.

O fato do livro não ter funcionado comigo do jeito que eu esperava não significa que ele é ruim, se você quiser conhecer a história, confere aqui:

10 Comentários

  1. Uma pena que não funcionou direito com você, mas eu fiquei bem curiosa com esse livro. ^^

    Beijo.
    Cores do Vício

    ResponderExcluir
  2. Essa é a primeira resenha negativa que leio sobre esse livro, porém, posso confirmar que não é só você que acha a protagonista insuportável, hahaha. Mesmo as resenhas positivas sempre comentam que April é "complicada".
    Eu acho a premissa desse livro bem interessantes, mas não consigo lidar com finais abertos, histórias sem uma boa amarração e que não me dê respostas.
    Beijo, Blog Apenas Leite e Pimenta ♥

    ResponderExcluir
  3. KKKKKKKKKKKKKKKKK
    Miga, eu entendo total sua decepção com esse livro. Colocou Green no nome já sei que não é bom. Não li o livro infelizmente, provavelmente nem vou amém. Ninguém merece passar por isso né?
    Beijo
    Capítulo Treze
    Participe do Sorteio de Desapego no instagram
    Inscreva-se no canal

    ResponderExcluir
  4. Uma pena o livro não ter sido surpreendente para você. Confesso que não fiquei com vontade de conhecer a história! ❤

    https://www.kailagarcia.com

    ResponderExcluir
  5. Oi Aléx.
    Eu ouvi muitos comentários sobre esse livro e quando recebi ele para resenha também criei muitas expectativas. Apesar de ter achado a leitura interessante, não se tornou um favorito. A personagem é bem complicada mesmo.
    Bjus

    ResponderExcluir
  6. Eu jurava que o livro de tratava de outro assunto. Não conhecia a obra, mas não parece o tipo de livro que costumo ler. E também não sabia que era do irmão do John Green.

    Beijos

    Imersão Literária

    ResponderExcluir
  7. Gostei bastante do artigo de hoje, sempre estou aqui acompanhando seu blog. Tenho aprendido muitas coisas legais aqui.

    Beijos 😘.

    Meu Blog: Dicas de Saúde

    ResponderExcluir
  8. Oi, Aléxia

    Eu já não gosto do John, então meu desgosto vai pro Hank por tabela, não posso evitar. Hahahaha
    Eu recebi esse livro na época do lançamento e sorteei na mesma hora, a proposta não me interessa nem um pouco e quanto mais leio resenhas, negativas ou positivas, mas vejo que fiz bem. Tá louco ler um livro que deixa a gente sem resposta? God me Free! Hahahahah

    Beijos
    - Tami
    https://www.meuepilogo.com

    ResponderExcluir
  9. Oi, Aléx!

    Que coisa! A premissa é bem interessante, mas a protagonista ser insuportável desse jeito certamente acaba com todo o potencial da história. A leitura já não funciona do mesmo jeito que poderia ser, e é uma pena, porque a premissa é bem bacana. Mas acabar o livro sem resposta alguma sobre o que era a estátua, aí é sacanagem né hahaha ainda bem que li sua resenha, se for dar uma chance pro livro um dia, já vou preparada e com as expectativas baixas.

    xx Carol
    https://caverna-literaria.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  10. Estou amando ler seus posts... vou até salvar em favoritos!


    Meu Blog: resultadovalesorte.net

    ResponderExcluir